Cumulonimbus: Características dos cumulonimbus - Externas

Características dos cumulonimbus - Externas


Os cumulonimbus são nuvens de fácil reconhecimento, tanto pela sua forma quanto pela seu tamanho. A "bigorna" (anvil em inglês) é uma formação na parte mais alta da nuvem que consiste numa camada plana. Essa camada geralmente situa-se a 10 mil metros de altitude1 , mas em casos extremos pode atingir 23 mil metros em relação ao solo. Em nuvens desenvolvidas essa "bigorna" forma um domo criados por ventos da alta atmosfera.

Esse domo muitas vezes precede a base da nuvem e causam "relâmpagos da bigorna" (relâmpagos que acontecem antes da base da nuvem chegar).

Às vezes o ar ascendente faz com que a nuvem cresça acima do domo da nuvem.

Se esse domo durar mais que 10 minutos, é uma indicação que a tempestade será severa.

Em relação a essa nuvem todas as outras parecem pequenas.

Por causa de sua grande espessura e densidade a sua aparência na base é bastante escura, principalmente quando estão bem desenvolvidas. A atividade elétrica no interior da nuvem é elevada, resultando em grandes quantidades de raios, Nuvens que surgem sozinhas geralmente causam uma precipitação rápida e têm um ciclo de vida de 30 a 40 minutos. Mas grupos de nuvens associadas às frentes frias podem causar tempestades por centenas de quilômetros.

Os cumulonimbus estão diretamente associados a alguns dos fenômenos climáticos mais severos que causam danos graves nas cidades e no campo. O mais comum são as enchentes, visto que a precipitação ocorre em um curto espaço de tempo, mas com um grande volume. Nuvens maiores causam tempestades mais severas, pois além da grande precipitação, ocorrem ventos fortes e descargas elétricas. Quando há formação de uma supercélula, a precipitação se torna mais intensa ainda, e se as condições estiverem favoráveis, ocorre a formação de tornados.

Cumulonimbus - OpenBrasil.org
Página anterior Próxima página